Compartilhe

O membros do Fórum Nacional Popular da Educação (FNPE) se reuniram na tarde desta quarta-feira (6), em Brasília, para tratar da organização da Conferência Nacional da Educação (Conape) em 2018 e também para organizar estratégias de luta para conter os ataques do governo federal à educação pública.

Censura no Inep

O primeiro item de pauta foi a censura dentro do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). No dia 18 de novembro, o número 7 da revista PNE em Movimento – que discutia a proposta de implantação do SINAEB – foi retirado de circulação por determinação da gestão do Inep.

Na ocasião, a Associação dos Servidores do Inep (Assinep) publicou uma carta aberta denunciando essa arbitrariedade. Além disso, o documento reivindicou a republicação do número 7 dessa revista e o apoio da sociedade ao movimento de defesa da livre expressão do pensamento crítico .

O FNPE decidiu apoiar a carta da Assinep e aderir ao movimento que clama pela correta produção e divulgação de estudos e pesquisas e o livre debate sobre os grandes desafios educacionais do país.

PL 6847/2017 – Pedagogos

Outro ponto de debate foi o Projeto de Lei 6847/2017 – que trata da regulamentação do exercício da profissão de pedagogo. Na avaliação do FNPE, esse PL é extremamente problemático por vários motivos, entre eles o fato do projeto gerar mais um custo para o profissional que busca uma formação na área de pedagogia. A licenciatura é uma habilitação conferida pelo Ministério da Educação por meio do Conselho Nacional de Educação e isso basta para que o professor exercer sua profissão em sala de aula.

Outro problema é que o Projeto de Lei, da forma como está colocado, poderá enfraquecer ainda mais os sindicatos e entidades que já atuam em defesa dos professores. Leia a avaliação da CNTE sobre o PL 6847/17.

Para fortalecer o debate e barrar a aprovação deste PL, os membros do FNPE estarão presentes na audiência pública que vai debater esse tema nesta quinta-feira (7) na Câmara dos Deputados.

Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

O Conselho Nacional de Educação (CNE) propôs a quarta versão da Base Nacional Comum Curricular. No entanto, esse documento não está público para o debate, está sob sigilo: nenhuma entidade teve acesso a esse material, nem foi consultada na elaboração dessa versão.

O Fórum Nacional Popular de Educação denunciou essa medida autoritária deste governo golpista que afasta a participação popular que existia em tempos democráticos. Por isso, o FNPE deliberou lutar para que a Base Nacional Curricular Comum não seja aprovada e, caso ela seja implantada, a proposta é fazer de tudo para que ela não seja concretizada.

Universidades públicas

As universidades públicas estão sofrendo diversos ataques, seja pelos discursos na mídia em defesa da privatização, cortes de verbas e atrasos no salário de professores, até pela perseguição de reitores com “condução coercitiva”. Como forma de defender a universidade pública, laica, gratuita e de qualidade, o Fórum Nacional Popular da Educação deliberou pela criação, em seu site, de uma seção destinada para a defesa das universidades públicas, com a adoção da campanha da União Nacional dos Estudantes (UNE): “Universidade não se vende, se defende”.

X .Brasil - BRASIL .Reuniões Conape - REUNIOES-CONAPE Acre - AC Alagoas - AL Amapá - AP Amazonas - AM Bahia - BA Ceará - CE Distrito Federal - DF Espírito Santo - ES Goiás - GO Maranhão - MA Mato Grosso - MT Mato Grosso do Sul - MS Minas Gerais - MG Pará - PA Paraíba - PB Paraná - PR Pernambuco - PE Piauí - PI Rio de Janeiro - RJ Rio Grande do Norte - RN Rio Grande do Sul - RS Rondônia - RO Roraima - RR Santa Catarina - SC São Paulo - SP Sergipe - SE Tocantins - TO
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support